Medindo, classificando, apoiando e fortalecendo a publicação científica em acesso aberto no Brasil [nota de leitura]

 

Esse artigo [1] mostra a influência do modelo acesso livre (ou acesso aberto) na qualidade das revistas cientificas brasileiras  e compara  em diferentes disciplinas  a notoriedade dos jornais brasileiros em relação aos  jornais internacionais.

Esse trabalho analisou um painel impressionante de sistema de referências mais a base de referência é o sistema Qualis da CAPES.  O Qualis é o sistema brasileiro para avaliação dos jornais  como outros bancos de dados para examinar a relação entre qualidade académica e acesso livre no contexto brasileiro. Usando as diferentes fontes citadas acima o estudo mostra a proporção de jornais em  tipo de acesso livre e a avaliação dos jornais brasileiros para cada disciplina.

O artigo mostra que o Brasil de acordo com o Ulrich’s directory tem mais  publicações em acesso livre do que qualquer outro país  (69% dos artigos em Acesso Livre).

Os jornais dos quais foram comparados com vários sistemas de classificação apresentados na Tabela 1 : “fontes de dados para comparar a lista de jornais de Qualis”. O estudo foi feito com dados de fevereiro até outubro de 2013. O Qualis tinha  24,406 jornais com titulos ativos ou inativos ,  32% dos jornais eram brasileiros e 68% não.

A comparação entre  revistas brasileiras e internacionais é feito usando a classificação, de A1 à C, da Qualis e para cada temática. Abaixo um extrato da figura 2 do artigo.

figura2

 

Os  resultados sobre acesso aberto mostram que o  melhor é o jornal brasileiro,  mais provavelmente ele é de acesso aberto. O Estudo mostra também que na biologia o  Qualis tem tendência a depreciar os jornais onde os pesquisadores estão publicando. a tabela 2 (reproduzida abaixo) mostra proporção de jornal em acesso livre seguindo as oitos qualificações  do Qualis.

qualisgoldOAembargo

O artigo conclui sobre  politica implicação da politicas de  acesso aberto dos pais na frente em acesso aberto para reinforcar a qualidade da sua contribução global no conhecimento.

O sistema universitario publico brasileiro tem programma bem establecidos com professores qualificados e produz um numero signicante de pesquisas para o mercado interior para trocar de ideas em jornais locais academicos.

Mais os pesquisadores brasileiros estão dando prefência a publicar nas revistas internacionais. O Qualis também da mais importência em publicação em revistas internernacionais não brasileiras. Os autores não acreditam qeue essa fato monstra uma falta de qualidade nas revistas brasileiras.

Algumas pistas são mencionadas : a ausência de APC (Article Processing Charge ou custo de processamento do artigo)  em geral poderia prejudicar os jornais, especificamente em biologia onde o sistema internacional é baseado sobre o modelo GOLD OA com APC.

Outras  reflexões mostram que talvez o Capes deveria trabalhar com as plataformas  (Scielo por exemplo) para promover a atratividade dos jornais brasileiros e também produzir métricas no nivel do artigo em vez do nivel do jornal.

[1] CARVALHO NETO, Silvio; WILLINSKY, John; ALPERIN, Juan Pablo. Measuring, rating, supporting, and strengthening open access scholarly publishing in Brazil. education policy analysis archives, [S.l.], v. 24, p. 54, may 2016. ISSN 1068-2341. Available at: <http://epaa.asu.edu/ojs/article/view/2391>. Date accessed: 07 may 2016. doi:http://dx.doi.org/10.14507/epaa.24.2391.

Ver também :
Capes. Document de Area 2013 (2013). http://www.capes.gov.br/images/stories/download/avaliacaotrienal/Docs_de_area/Interdisciplinar_doc_area_e_comiss%C3%A3o_ATT27SET.pdf. 86 p.


Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *