Estudo sobre o papel das redes sociais na comunicação cientifica

Leitura do estudo Social Networking Sites and their role in Scholarly Communications– maio de 2011   Centre for Research Communications at the University of Nottingham (UK).  Disponível em: <  http://crc.nottingham.ac.uk/projects/rcs/Social_Networking_Report-Duke&Jordan.pdf > Acesso em : 31 jul. 2011.

Este estudo tem como objetivo auxiliar pesquisadores que usam as redes socias e como elas podem ser usadas em relação aos open access repositórios.

O estudo pediu aos pesquisadores e doutorados teorizar sobre a utilização das redes socias em suporte de pesquisas e qual e o conhecimento deles sobre o Open Access.

O foco da pesquisa está nos 6 sites vinculados a área acadêmica:  academia.edu, Peer Evaluation , Mendeley, Research Gate, SciSpace, Zotero.

Linkedin tem uma posição diferente dos outros, porque se definiu mais para contatos de negócio do que para contatos científicos

Os outros sites são Academici (fechado) Epernicus Network, Quartzy (só para material labs), MyScience (só para buscar empregos), CiteUlike, MyExperiment

Quinze universidades foram escolhidas para participar da pesquisa, constituindo um questionário com diversas áreas de interesse. Só 117 respostas voltaram (9%) , 85 respostas dos pesquisadores e 32 respostas dos estudantes.

As repostas são compartilhadas entre jovens pesquisadores, estudantes (59), pesquisadores master (44)  e  seniors  (19).

A primeira questão foi sobre o conhecimento de cada um em relação as redes socias.

Como ninguém conhece  as seguintes : myExperiment, SciSpace, Quartzy, Peer Evaluation e myScience.ch, Epernicus Network. A pesquisa  vai trabalhar só sobre Mendeley, Zotero, CiteULike, Academia.edu, LinkedIn e ResearchGate.

Alguns pesquisadores falam sobre Facebook e sobre o  Twitter para fazer conexão além do Xing, Ning, Second Life and Biomed Experts.

O estudo teve questões sobre

material de publicação
contato com outros pesquisadores
busca de outros pesquisadores
busca de material pertinente (documentos)

Os 3 últimos pontos foram perguntas sobre  o uso do E-mail, do Twitter e da participação em congressos e  eventos

Os resultados são que o e-mail e a participação nos eventos continuam dominando o sistema  de comunicação dos pesquisadores. Fora o LinkedIn , nenhuma outra  rede social está sendo usada mais do que 5% . . 3 sites são usando para publicação, porém  não estão sendo  utilizados  para a publicação do processo de trabalho .

O estudo delinea um grupo, denominado de grupo X,  usuário do Mendeley, Zotero, CiteULike, Academia.edu and ResearchGate . Esse grupo representa 16% dos participantes da pesquisa, mas na sua maioria não usa todas as possibilidades das ferramentas contidas no site. Quanto ao  Linkedin, este é  usado por 19 % dos pesquisados

O mais interessante do estudo e que a maioria dos pesquisados não tem interesse de mudar a maneira de comunicação,  incluindo eventos. Os uso do e-mail esta permanecendo como o preferido  em comparação as redes, como por exemplo: O  Facebook ou  O Twitter. Outras Redes sociais  além do  Facebook  são usadas para um significativo número de  pesquisadores, entretanto apenas para  uma  minoria.

Os autores ficaram  surpresos pois perceberam  na pesquisa que não há sinais de grande procura em relação ao uso das redes socias. Apenas 30 % dos pesquisados usam uma rede social como suporte nas suas pesquisas.

A parte “Open access e redes socias “ mostra que os pesquisadores não conhecem bem os dois caminhos do acesso livre : Open Access jornais e repositórios institucionais. Não existe muita relação entre a publicação (difusão, avaliação) em acesso livre e o uso das redes sociais. O estudo demonstra também que se tem pouco incentivo das instituições em publicações pelo sistema  acesso livre, além do que os publicados numa rede social.

As conclusões que chegaram é  que apenas 16 %  usam outras  redes socias  do que Linkedin, mas na verdade só Zotero e Mendeley são muito usadas, na proporção de um para cada 2 dos pesquisadores.

Muitos pesquisadores pretendem criar uma conta nos sites com o  único objetivo de observar o seu  funcionamento e o perfil dos usuários. Na maioria dos casos, o site não atende às expectativas desses usuários. Eles normalmente se adicionam no site porque  foram convidados por seus colegas.

O esforço para usar esse site é grande e os pesquisadores estão muito ocupados.

A massa crítica não é alcançada… todos tem telefone ou e-mail mais apenas uma pequena parte dos pesquisadores estão presentes nas redes.

O estudo fala também que tem casos de sucesso : ArchivX para os físicos e o Plos Biology, que podem ser usandos como exemplo. E neste último, eu me coloco como um caso típico aqui.

O estudo insiste sobre a importância de guias de boas práticas em comunicação cientifica e a necessidade de dar mais visibilidade aos repositórios institucionais como portais de informação de grande importância para a democratização e divulgação dos conhecimentos


Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *