LusOPenEdition

lusopendition

O projeto LusOpenEdition é um projeto orientado em ciências sociais e humanas. Ele disponibiliza à comunidade científica lusofona quatro plataformas de publicação e de informação em ciências sociais e humanas, de âmbito internacional. :
* Books – Coleções de livros
* Revues.org – Revistas em acesso livre
* Calenda – Agenda de evento em ciências sociais e humanas
* Hypotheses – Cadernos de investigação. (Os Cadernos de hypotheses são blogs com WordPress).

LusOpenEdition é a versão portuguese de um projeto françês OpenEdition do Centre pour l’édition électronique ouverte (Cléo – UMS 3287). A versão portuguesa ganha mais dois parceiros : CRIA e a Fundação Calouste Gulbenkian.

Os serviços de Open Edition e os interesse dos cientistas para os contéudo dessa plataforma faz que  ela garanta um impacto cientifico e uma visibilidade dentro das comunidades que olham a plataforma OpenEdition. Aqui estamos bem longe do factor de impacto para avaliação da qualidade dos textos científicos. Um fator importante e que tem profissionais para acompagnar os editores e os cientistas que escrevem nos cadernos..

O revue.org  e uma plataforma completa para a geração de jornais científicos.

O Hypothese  apresenta blogs onde o processo de publicação cientifiçà pode ser experimentado como comentários sobre artigos já publicados,   consolidação de textos antes da submissão a um jornal, e nota de leituras para divulgar um ponto de visto original sobre um artigo.

O OpenEdition Freemium e um novo modelo de acesso livro, que e muito interessante.
Os conteúdos dos jornais e cadernos são em acesso livre, mais as universidades ou instituções, podem participar – Atraves dos serviços de bibliotecas-  para dar mais serviços aos usurários deles.
O serviços da opção freemium são apresentados em seis grupos (ver o site).  Entre eles,  para usurários : acesso aos artigos em vários formatos, formações, para bibliotecas, : recuperação de dados bibliográficos, estatísticas de consultação no formado Counter participação em manifestação como ThatCamp Paris.

Esse modelo tem o vantagem de colocar as bibliotecas no centro do processo de promoção do acesso livre.

Fontes :


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *