Wiki França-Brasil sobre Ciência, Inovação e Sociedade

As pesquisas precisam de  interações intensivas através  de uma multidão de atores, com expertisa diferentes que vem de disciplinas diferentes. O assunto da pesquisa colaborativa serve para criar modelos estabelecidos com tecnologias próprias para ajudar essas interações [1]. As ferramentas como os wikis ou os blogs  são indicados para uma escritura colaborativa e construir uma reflexão coletiva para ampliar os trabalhos dos pesquisadores ou dos analistas   [2].

O projeto :  Criado no incentivo do Instituto de Estudos Avançados em Ciência e Tecnologia (IHEST), Este Wiki responde ao desejo de promover a troca de idéias entre o Brasil e a França no campo dos relacionamentos entre a ciência e a sociedade.

Seu objetivo é desenvolver uma perspectiva original franco-brasileira para abrir as relações entre ciência e sociedade em rede, neste processo, especialistas de todas as origens e leigos advertem em uma abordagem multidisciplinar : ciências fundamentais, tecnologias e sociais.

Este Wiki [3] aborda, entre outras, as questões seguintes : Como são consideradas as relações entre ciência, inovação, sociedade em ambos os dois países ? Quais são os termos de uma comparação ? Quais são os pontos onde o Brasil e a França são diferentes ? Quais são os objetivos de desenvolvimento, atender as estratégias nacionais em Ciência, Tecnologia e Inovação ? A quais desafios societais eles respondem ?

O wiki incentiva as contribuições, reflexões compartilhadas, feedback que se encaixam no espírito de IHEST : comparar as opinões para criar uma cultura de ciência e inovação com o respeito das diferenças.

O site é baseado no Semantic mediawiki e usa a mesma ferramenta  colaborativa do que wikipedia mais com funções semânticas. O funcionamento  de publicação é também diferente (ler as instruções para os autores).

– Cada autor registrado  são atores do site e  podem criar ou modificar qualquer página e escrever um comentário. A moderação é coletiva e  funciona depois da publicação (avaliação a posteriori). Cada página tem um histórico de modificação.

-“wikificação” dos textos ja publicados : um texto ja publicado pode ficar colocado dentro do wiki. Isso permite um enriquencimento dos textos : atualização, comentários, link, imagens, bibliografias…

Os textos são acessíveis  através de categorias temáticas, de um motor de busca  ou por tipo de documento :

  • Análises : análise temática
  • Dados :  dados  escolhidos que monstra comparação entre a França e o Brasil
  • Esboço : Rascunho ou inicio de texto
  • Publicação :  artigo ou capitulo de livro ja publicados
  • Fontes : referências bibliográficas  essenciais de uma temática

 

ihestnavigation

Bilinguismo e navegação 

As páginas são em françês e em português e não tem necessariamente tradução  completa correspondente. Cada página é  indexada com uma categoria temática com acesso que aparece na página de entrada do site.

Esse wiki em versão beta ja recebeu mais de 53 500 páginas visitadas e deverá se desenvolver através de colaborações com universidades, editores de revistas e organizações na França e no Brasil.

contato : Pascal.Aventurier, Christelle Tallon (IHEST)

[1]  Romano P.,  Giugno R., Pulvirenti A. (2011). Tools and collaborative environments for bioinformatics research. Briefings in Bioinformatics, 12 (6), 549-561. http://dx.doi.org/10.1093/bib/bbr055.

[2] The future of publishing will be shaped by a more dynamic social reading experience. http://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2013/04/08/the-future-of-the-book-is-the-future-of-soc/

[3] http://france-bresil.ihest.eu/

Minicursos para escrever a ciência

blog Early writing. http://peterblakeboroughsblog.blogspot.com.br/2012/10/ancient-writing.html
Escrita indecifrada
mais antiga

O Prof. Dr. Valtencir Zucolotto, Membro Afiliado da Academia Brasileira de Ciências (ABC) oferece no seu site  http://escritacientifica.com minicursos e videoaulas sobre a redação cientifica.
As apostilas, a maioria em inglês  e com exemplos, são dividos em duas partes : “Exatas, Biomédicas e Engenharia” e “Administração, Economia e Contabilidade”

As videoaulas são as seguintes

 

Avaliação por pares sem editores (1) : Peerageofscience.org

O sistema de avaliação por  pares peer-review esta sendo organizado por cada jornal cientifico. O editor chefe de cada jornal esta organizando a avaliação dos artigos científicos submetidos e aceitos por eles ou não para revisão. Se é o caso ele vai mandar os textos anonimamente por avaliadores  que são outros cientistas e usar os comentários e correções  deles, que seguem critérios rigorosos para recusar,  mandar para os autores corrigirem o texto  se  necessário, ou aceitar a publicação.

Novos serviços envolvem universidades, revistas e sociedade cientificas estão  surgindo,eles oferecem novos serviços para a avaliação pelos pares e submição dos manuscritos , uma comunidade de cientistas para avaliar os manuscritos.

Peerageof science  é um projeto de 3 pesquisadores finlandeses, com  apoio da University of Jyväskylä e University of Eastern Finland. O site foi premiado pelo of ALPSP Award for Publishing Innovation 2012.
Mais de 1000 pesquisadores de 300 instituições e 45 paises são avaliadores do site,
20 jornais estão participando, na área da biológica, 57 manuscritos já foram avaliados desde 22 novembro de 2011, e recebem 2,3 revisãos em media.  Quando o artigo e submetido em função das palavras chaves dos autores; os avaliadores são informados. Há anotações dos avaliadores sobre a qualidade dos textos submetidos (PEQ) e o  artigo final (PAQ). Editores dos jornais parceiros do site podem fazer ofertas de publicaçoes aos autores.  E difícil de saber como  o modelo econômico vai evoluir, mais ele poderá envolver avaliadores que podem receber dinheiro. Jornais que até agora não pagaram nada poderão participar no futuro.

Um artigo publicado numa jornal
Um artigo publicado no jornal ” Evolutionary Ecology”

 

 

As vantagens são para os editores e autores :
Os editores como Carsten Rahbek, editor-in-chief of Ecography  (Wiley), tem o mesmo problema dos editores do jornal journal editors.  Com a explozão dos numeros de artigos submetidos eles tem o problema maior de achar pesquisadores para avaliação dos artigos e a qualidade esta diminuindo. Ele escolheu o Peerageofscience para avaliação. [1]
Os autores submetem os artigos deles uma vez so, depois as correções sobre o artigos são feitas dentro do site. Eles também não precisam escolher o jornal de publicação antes da submissão do artigo.

Com esta funcionando [1] ?

Um pesquisador pode upload um manuscrito, palavra-chave,  e um comentário explicando porque os pares devem  rever ele no Peerage of Science. O manuscrito esta anonimo e só os pesquisadores que tem inscrição no site pode ver ele. Um e-mail  esta sendo de maneira anonima nos  revisores potenciais sem as palavra-chaves do manuscrito concorda com as áreas de expertise deles. Após a revisão do artigo pares podem dar uma nota de 1 a 5 sobre a qualidade da revisão dos outros. Depois os editores da revista podem fazer oferta de publicação aos autores

Cientistas (pesquisadores) recebem um credito para cada revisão de artigo. Submeter um manuscrito no site custa 2 creditos. Assim se os autores querem a revisão  dos textos deles devem fazer revisão antes.

Se o revisor da publicação concorda a revisão pode ser publicada no journal Proceedings of Peerage of Science. Assim o cientista pode aumentar  a reputação. O site e de graça atualmente. No futuro  os jornais deverão pagar para acessar no site mais o custo devera estar mais barato do que o custo dos editores científicospara fazer a coordenação do sistema de revisão.

Esse serviço funciona por enquanto em Ecologia mais podem ser expandido em outras áreas.

Este tipo de site e muito interessante mais alguns problemas na minha opinião não são resolvidos.
Como os autores poderem dizer que  não querem tal pesquisador para avaliação ?
Como formatar o texto no padrão do jornal final ? Cada um tem um formato diferente (discussão, referencias bibliográficas, …)

Comentários bem-vindos

[1] Online Social Network Seeks to Overhaul Peer Review in Scientific Publishing http://news.sciencemag.org/scienceinsider/2012/01/online-social-network-seeks-to.html

Ver também A New Way for Journals To Peer Review Papers? http://www.sciencemag.org/content/335/6067/385.1.full

Mendeley para a gestão das referências bibliograficas

A gestão das referências bibliograficas faz parte integrante do processamento de pesquisa e da publicação. Por isso escolhi  de apresentar no meu blog uma ferramenta, Mendeley para a gestão e o compartilhamento das referências bibliograficas. Mendeley em uma ferramenta propriétario mais o uso e gratuito para um número importante de funcionalidades. Ele é só disponível em inglês. O limite mais importante da versão gratuita  é que não é possível compartilhar publicações com grupos de mais de 10 pessoas. As principais funcionalidades são :

1. Busca referências, pessoas ou groupos

É possível adicionar as sua referências próprias além de pesquisar o catálogo de Mendeley  de 30M + papéis,  fazer  importação de outros bancos de dados on-line usando o web importer.

É também possivel achar grupo público, ou pessoas. Mendeley está funcionando como uma rede social.

2. Organizar e pesquisar publicações

Usando o Mendely Desktop, é possível criar uma biblioteca Mendeley para classificar e organizar as publicações.

É possível importar referências a partir de artigos em PDF, de outros ferramentas do mesmo tipo, de banco de dados ou do web sites.

3- Escrever bibliografias dentro de um artigo por exemplo com o formato certo

O Mendeley vai instalar uma barra de ferramentas específica dentro de Open Office o Word para inserir referências com  o formato certo.

4. Leia e recolha idéias

Destaque e anote no Desktop Mendeley PDF Viewer para manter o controle de idéias, pesquisas e experimentos plano de projeto.

5 – Colaboração

Manter contatos com colegas e compartilhar artigos, notas e anotações  com segurança.

Para iniciar é necessário fazer download e instalar o Mendeley. Isso é muito fácil a partir dessa página.

installar mendeley

O guia para inciantes em inglês está aqui :
A figura seguinte mostra o desktop do Mendeley no computador :

desktop do mendeley

O meu objetivo é não fazer um curso sobre Mendeley mais apresentar  alguns posts  nesse blog que vão seguir as possibilidades avançadas dessa ferramenta.

Achar onde publicar com Google Scholar Metrics

As fontes principais desse post e um post “Journals Metrics” de Anna Sharman no seu blog [1] e o site “Metrics” de Google Acadêmico [2, 3]

Métricas do Google Acadêmico fornecem uma maneira fácil para que os autores avaliam rapidamente a visibilidade e a influência de artigos recentes em publicações acadêmicas. E  outra ferramenta para os autores procurarem onde publicar.

A ferramenta principal é o Journal Citation Report do Thomson/ISI que calcula varios indicadores como o fator de impacto de 2 anos e de 5 anos. http://thomsonreuters.com/products_services/science/science_products/a-z/journal_citation_reports/

Enquanto a maioria dos pesquisadores está familiarizado com as revistas bem estabelecidas em seu campo, que muitas vezes não é o caso com as publicações mais recentes ou publicações em áreas afins – não é simplesmente demasiado muitos deles de acompanhar! Métricas do Google Acadêmico resumem citações recentes para muitas publicações.

As melhores 100 publicações em vários idiomas, por ordem de seus cinco anos h-index e H-medianas métricas foram apresentadas. E possivel também  procurar por publicações com o titulo. E também é possivel ver  quais  são os artigos de uma publicação que foram mais citadas e que as citou.

Métricas Acadêmico são baseadas no índice como era em 01 de abril de 2012. Para facilidade de comparação, eles não são atualizados.

Uma coisa interessante e que arquivos abertos  internacionais com ArXiv e Repec são selecionados e tem um bom ranking no top100 publications em inglês.

Google metrics – top 100 publications (english)

Em baixo o ranking para publicações em português

Detalhes do métricas do Google Metrics [1]

O h-index de uma publicação é o maior número h tal que pelo menos h artigos em que a publicação foram citados pelo menos h vezes cada. Por exemplo, uma publicação com cinco artigos citados por, respectivamente, 17, 9, 6, 3 e 2, tem o índice h de 3.

O h-core de uma publicação é a soma de artigos citados acima do numero h da publicação. Estes são os artigos que o h-index é baseado. Por exemplo, a publicação acima tem o h-core com três artigos, os citados por 17, 9 e 6.

O H-mediana de uma publicação é a média das contagens de citações dentro no h-core. Por exemplo, o h-mediana da publicação acima é 9. O H-mediana é uma medida da distribuição de citações para os artigos h-core.

Finalmente, o índice de h5-, h5-core, e h5-mediana de uma publicação são, respectivamente, o índice h, h-core, e h-mediana  daqueles  artigos que foram publicados no calendário nos cincos últimos anos (de 2007 a 2011).

O h5-índice e o h5-mediana para cada publicação incluída são exibidas bem como o  h5-core dos artigos, juntamente com as contagens de citações. de modo que é possivel ver quais os artigos que contribuem para o h5-índice. Clique sobre a contagem de citações de qualquer artigo na h5-core para ver quem citou-o.

Cobertura das Publicações

Métricas Acadêmico abrange atualmente os artigos publicados entre 2007 e 2011, ambos inclusive. As métricas são baseadas em citações de todos os artigos que foram indexadas no Google Scholar a partir de 1 de abril de 2012 [Não tem atualização em tempo real]. Isto também inclui citações de artigos que não são abrangidos por  Metrics Acadêmico.

Os artigos vêm de um grande número de sites. Para evitar erros de identificação de publicações, foram incluídos apenas os seguintes itens:

  • artigos de periódicos de sites que seguem as nossas diretrizes de inclusão;
  • artigos de conferências e preprints a partir de um pequeno número de fontes manualmente identificados.

Os seguintes itens são excluidos :

  • Pareceres judiciais, patentes, livros e dissertações;
  • Publicações com menos de 100 artigos publicados entre 2007 e 2011;
  • Publicações que não receberam citações de artigos publicados entre 2007 e 2011.

Os limites de Metrics Acadêmico
Metrics Acadêmico cobrem uma fração substancial de artigos científicos publicados nos últimos cinco anos. No entanto, eles não cobrem atualmente um grande número de artigos a partir de revistas. As datas e citações do Metrics Acadêmico são uma estimação e são calculados por um programa de computador – o que não é o caso  do Journal Citation Report do Thomson Reuters.

O Inglês é a língua mais amplamente citada. Pesquisadores em todo o mundo publicam frequentemente em revistas de lingua inglesa- em seu próprio país, bem como internacionalmente.

[1]  http://sharmanedit.wordpress.com/2012/04/12/journal-metrics-2/
[2] top 100 publications in several languages
[3] http://scholar.google.com/intl/en/scholar/metrics.html

O que será o artigo do futuro ?

Article of the future é um projeto da editora Elsevier para criar  protótipo do artigo do futuro. E muito interessante porque esse protótipo   funciona com revistas de 7 áreas científicas diferentes dessa forma todos podem ver as evoluções do projeto e comentar.

Um artigo do futuro permite  ler o artigo com varios formatos e  terminais (além do PDF). Ele tem :

  • um “hightlight” parte para apresentar os pontos mais interessantes  do artigo (e assim ganhar tempo para a leitura,um resumo gráfico   para entender o assunto do artigo,
  • mais possibilidade de navegação (figuras, graficos),
  • mais conteúdo : com explicações sobre matérias, metodos,
  • mais interações com aplicações existentes .

Veja esse exemplo com o artigo : ” Exposed proteins of the Schistosoma  japonicum tegument. International Journal of parasitology”. http://www.articleofthefuture.com/S0020751909003920/

exemplo articleofthefuture-proteine
As evoluções estão sobre apresentação, conteúdo e contexto.
Apresentação: um artigo têm três painéis que separa navegação (painel esquerdo) e de valor adicionado e valorizado (painel direito) do artigo principal (painel do meio).

A navegação contem  tabela de conteúdos, miniaturas conteúdo : com aplicações interativas como Google Maps para substituir  imagens de mapas estaticas

Contexto : o leitor podera escolher uma informação para ve-la em outra aplição usando as
possibilidades do painel direito.

Também tem possibilidade para ver e analisar os dados da pesquisa e acessar aos repositórios de dados e conjuntos de dados de avaliação para ajudar os pesquisadores avaliar e comparar os modelos e algoritmos. ver o exemplo com outro artigo :
http://www.articleofthefuture.com/S0020025510002756/#datarepo-item1

Os artigos já estão disponíveis em Sciverse Science Direct (a plataforma de revistas da editora).
Acesso o projeto : http://www.articleofthefuture.com

Altmetric medida nivel de difusão dos artigos no web social

Altmetric [1] é uma empresa privada tipo start-up que avalia o nivel de difusão dos artigos no web social como Facebook, Twitter, Blogs alem  de Mendeley, Connotea e CiteUlike.

A empresa analisa mais de 8.000 revistas e faz mais de 1,5 milhões de  identificações em redes sociais. o número de artigos identificados irá  aumentar de forma constante. o sistema usa o DOI (digital Object  Identifier) à que permite identificar e localizar cada artigo no web.

O Altmetric score usa o volume  como as varias seguintes :

  • O volume : o score para um artigo aumenta quanto mais pessoas mencioná-lo.
  • As fontes : com valores diferentes : um artigo de jornal diário  contribui com mais do que um post de blog que contribui mais do que um  tweet.
  • Os Autores : se  uma pessoa propria conta mais ou um envio automatico do jornal

A métrica se chama “Altmetric score” e esta vizualisada como o Altmetric  Donuts altmetric donut

Como usar o Altmetric Score. ?
Tem um bookmarlet (ferramenta) que cada um pode instalar no seu navegador web (Firefox, Chrome, Safari) na barra de ferramentas [2] . Depois so visitar a pagina de um artigo e cliquar no botão.botão altmetric boormarklet
Exemplo 1 um artigo do journal Nature

altmetric score  exemplo 1- Nature

Exemplo 2 : um artigo do jornal PNAS

altmetric PNAS
Altmetric score com um artigo de revista PNAS

Esse tipo de medida parece muita inovadora e a empresa pode fazer   extrações do seu banco de dados par instituções por exemplo.
Os artigos sem resultados nao sao dentro o banco de dados. Os jornais com impacto forte e jornais em accesso livre (OA journals)  tem maiores scores do que jornais com subscripcões ou jornails com impacto baixo.
Seria muito interessante o mesmo tipo de medida com os conteudo dos repositorios dos arquivos abertos que também são de accesso livre e a maoridade deles mostram os DOI dos artigos (ou um Handle)

[1] www.altmetric.com/
[2] Bookmarklet : http://www.altmetric.com/bookmarklet.php

Titulos das publicações cientificas e tweets : mesmas regras ?

O título de um artigo científico sempre foi um elemento preponderante na  seleção de item por um pesquisador.

Os bancos de dados e os motores de busca exibem-lo de maneira muito legível. E a primeira coisa que os leitores vão ler na internet ou no  celular.  O título deve seguir as  regras seguintes:
– o título deve ser informativo,
– evitar usar palavras como “New observation …”, “Contribution to… ” etc.,
– a primeira escolha de palavras é importante, as palavras informativas são colocadas no início do título,
– os termos “palavras-chave”, descrevendo a pesquisa, devem estar nele.

Para ilustrar os efeitos da leitura na internet, Dan Zarrella, um  influente especialista em mídias sociais, mostrou a influencia dos  conteúdos dos tweets no Twitter  em um gráfico (veja abaixo).

– O tweet vai ser mais clicado se é um texto informativo entre 120 e  130 caracteres (o máximo é de 140 no twitter)
– também é melhor usar verbos que adjetivos.

fontes : http://danzarrella.com/infographic-how-to-get-more-clicks-on-twitter.html#
clickthrough rate (CTR) of the links you’re tweeting. Dan Zarrella
Clickthrough rate (CTR) of the links you’re tweeting. Dan Zarrella